Arquivo para março \27\UTC 2007

Tarantino’s Mind/Grindhouse

“Sempre pensei que o cinema foi inventado para mostrar gente se matando e se beijando.”

 

Sempre depois de posts “grandinhos” como o de 300, ou até mesmo a resenha do show do Blind Guardian, me dá uma preguiça de escrever outro texto. Na verdade, não é só preguiça, as vezes falta assunto mesmo (tenho evitado de postar resenhas e tal, a não ser que vocês queiram alguma específica), mas de novo, o fHBD resolveu esse problema de falta de assunto.


Essa semana, postaram um curta sobre o Tarantino lá. A idéia do curta é bem legal; dois amigos, em um restaurante, discutindo as ligações entre os filmes do Tarantino. O vídeo é cheio de citações nerds e tal, provável que algumas pessoas se percam lá pelo meio (o curta tem 15 min), mas do mesmo jeito, é um prato cheio pros fans do Diretor. Talvez o resultado final não tivesse saído tão legal se a escolha dos atores não tivesse sido tão bem feita. Colocar Seu Jorge e Dalton Selton Mello pra viajar nas teorias sobre o Tarantino é uma idéia MUITO foda, e que ninguém nunca pensou.

Além das citações, dos atores e do assunto, vale a pena ver de qualquer jeito, só pelo nível cômico do negócio, dei várias risadas aqui.

Pra quem quiser ver o vídeo, o link é esse: Tarantino’s Mind (Google Video)

 

 

Agora já que o assunto é Tarantino…


Hoje faltam exatamente 10 dias para o lançamento da nova película do Tarantino.. O QUE !? Não tava sabendo de nada!?

Ok, eu explico.

É o seguinte, dia 06 de Abril, estréia nos cinemas gringos GrindHouse. Na verdade, não é só um filme, são dois médias-metragens, e um deles é dirigido por Tarantino.

A divisão é assim, 60 minutos de Death Proof, e mais 60 minutos de Planet Terror.

Foda, né?

Então, Tarantino dirige Death Proof, que conta a história de um maníaco que usa seu carro como arma. Parece meio non-sense, né ? Olha só essa declaração do Tarantino sobre o filme:

“Death Proof terá uma das maiores perseguições de carro, senão a maior, jamais feita. Pego Top 3 com certeza. E esse filme tem alguns dos melhores diálogos que eu já escrevi na vida. Quando terminei o roteiro até mandei para Bob Dylan. Achei que ele fosse apreciar a linguagem”

A outra parte, Planet Terror, vai ser dirigida por Robert Rodriguez (Sin City). Planet Terror é mais um filme de zumbis, mas de acordo com Rodriguez, ele diz que ta fazendo um filme de zumbis pois faz tempo que ele não vê um descente. O filme (mesmo antes de lançado) já foi comparado algumas vezes com os filmes de John Carpenter.

Dados do filme:

Gênero: Terror
Duração: 170 minutos
Origem: EUA
Estréia – EUA: 06 de Abril de 2007
Estúdio: Weinstein Co.
Direção: Quentin Tarantino, Robert Rodriguez
Roteiro: Quentin Tarantino, Robert Rodriguez

Trailers:

http://www.youtube.com/watch?v=I6l-InqDHmA

e

 

Agora é só esperar, lembrando que dia 30 (sexta feira agora) estréia nos cinemas nacionais 300 !

Update: O filme vai ter um total de 170 minutos, 80 de Planet Terror e 90 de Death Proof.

Anúncios

A volta dos bardos

And then there was Silence, In Rio de Janeiro

 

Esse domingo agora, dia 18 de março, todos os bardos daqui do RJ se juntaram no Vivorio, a mais nova casa de shows do Rj, para um “remake” de um dos melhores shows feitos pela banda (2002 – Canecão). Porém, nem tudo foram rosas.. Infelizmente, só consegui chegar na casa uma hora depois que os portões foram abertos, ou seja, além de um tempinho esperando na fila, não consegui me encontrar com o pessoal e fiquei praticamente o show inteiro sozinho.

Ás 20:06 (estava marcado para 20:00), começa a tocar War of Warth, que quase não foi ouvida, pq a gritaria era absurdamente alta quando a Hansi Kürsch (Vocal), Marcus Siepen e Andre Olbrich (guitarra), Oliver Holzwarth (baixo) e Frekerik Ehmke (o novo baterista), tem também o tecladista, que só toca nos shows, e eu não tenho a menor idéia do nome.

Assim que a introdução acaba, a banda começa a tocar Into the Storm, deixando o vivorio insano.
Logo na primeira música, já é claro que a idade começa a influenciar na performance do Hansi, que cantou TODAS as músicas do show uma oitava abaixo, não fora uma ou duas, foi O SHOW INTEIRO uma oitava abaixo. Deixando claro que 5 anos fazem uma bela diferença.

Depois de Into de Storm, Hansi bate um papinho com os cariocas, e anuncia a próxima música (do mesmo jeito que faz em todos os shows) ” Welcome to the Show..and WELCOME TO DYING!”. Quase gozei na cuequinha quando ele falou isso, primeiro pq essa é uma das minhas favoritas da banda, e segundo pq ela não tava confirmada para a turnê, ou seja, foi uma ÓTIMA surpresa. A música fica 17 vezes melhor ao vivo, todo mundo batendo cabeça , coisa linda.

O show continua com as também clássicas Nightfall e I’m Alive (que não foi tocada em BH e SP, morram), que foram cantadas praticamente pelo público, e não por Hansi, que tava aproveitando pra descansar um pouco a voz (é, tava realmente precisando).

Depois dessas duas, Hansi bateu um papinho com o público, e anunciou que a próxima música seria do novo cd (que eu ainda não ouvi :(), o público já ficou eufórico, pedindo por Fly, e quando anunciou que ela era sobre o Peter Pan, o Vivorio quase desabou! A música ficou bem legal ao vivo, com todo mundo acompanhando cantando e com palmas ritmadas, muito legal mesmo.

Durante Fly, eu acabei reparando na arrumação do palco, que MUITA gente não gostou e saiu reclamando, bom, ela era BEM simples mesmo, não tinha nenhum pano de fundo, nada. Só um fundo preto, que mudava de cor conforme a iluminação. Simples mesmo, mas eu achei que ficou um efeito bem legal, ainda mais com a iluminação do show (ponto pro VivoRio nessa).

Agora, de volta para os clássicos, a banda toca uma das mais esperadas da noite, se não a mais esperada, Valhalla! Depois do fim da música, o público ainda ficou cantando o seu refrão durante um bom tempo, deixando a banda impressionada, engraçado de mais a cara dos alemães lá em cima askdjlkajda

O show seguiu com Bright Eyes, que também não foi tocada em BH e SP, e a música seguinte foi Skalds and Shadows e This Will Never End. A primeira não teve um resultado tão legal ao vivo, dando uma esfriada no show.

Depois de 10 músicas, Hansi anuncia o tão temido finalzinho do show, elogiando o público, e falando que gostaria de voltar o mais rápido possível, no máximo duas semanas kasjdklsajasld quem dera..
Mas antes de dar aquele saida do palco, a banda tocou ainda Mordred’s Song e And Than there was Silence.
Preciso falar uma coisa sobre esssa segunda música:

Quem teve a ESTÚPIDA idéia de tocar ISSO ao vivo !? Sério, uma música de mais de 15 minutos, que não é dividida em partes nem nada !? Esfriou completamente o show. Sendo que ela poderia ter sido trocada por outras músicas MUITO melhores, talvez até três outras músicas. Fiquei realmente puto quando ele anunciou essa música.

Depois que a banda saiu do palco, comecei a me preparar para um sacal solo do novo baterista, QUE NÃO ACONTECEU! Vocês não sabem como é bom ir em um show, e não ser obrigado a ouvir aqueles solos monótonos de bateria.

A banda volta, já anunciando que só poderiam tocar mais três músicas, e já era óbvio que dessas três, só uma seria surpresa, pois ainda faltava The Bard’s Song e Mirror Mirror. Que ficaram por último, pois a primeira música tocada quando eles voltaram ao palco foi Imaginations from the Other Side. A música ficou BEM legal ao vivo também, animou o público e tal.

O show continuou com Hansi e Siepen no palco, só com um violão, e só com isso, o público do show já gozou na cuequinha. Sim, a próxima música seria Bard’s Song.
Como em todo os shows do BG, Hansi não se deu o trabalho de cantar a música, e os alguns milhares de infelizes suados, fedendo, porém felizes, fizeram esse favor ao tio, que agora já tá passando dos 40 anos. Foi LINDO, ver o vivorio cantando o Hino da banda todo junto.

A banda fechou a noite com Mirror Mirror, que já estava sendo pedida desde antes de começar o show. Tentei filmar uma parte, mas a empolgação era grande de mais, e o vídeo ficou tão bom quando o de alguém com parkinson gravando uma tourada.

Bom, pra quem não teve saco de ler isso tudo, vou fazer uma listinha, com os prós e contras do show;

  • Prós:

Público – Tão falando que o show do Rj foi o melhor da turnê, junto com o de BH, e em grande parte por causa do público.

5 anos de espera – Depois de cinco anos esperando, qualquer coisa que eles fizessem em cima do palco, seria digna de aplausos.

Organização do Vivorio – Um show marcado para as 20:00 começar as 20:06 é uma coisa quase utópico, né?

  • Contras:

Idade do Hansi – Cantar o show inteiro uma oitava abaixou pegou meio mal.

Set-List – Tava bem legal, mas foi muito curto, poderiam ter tocado mais duas ou três músicas, e trocado ATTWS por outras músicas também.

Tamanho do VivoRio – Apesar da organização e beleza da casa, ela era pequena de mais para um show desses, menor até que o canecão. Sonho em ver BG no Claro Hall ainda..

André Olbrich
O FILHO DA PUTA SÓ FICOU DO OUTRO LADO DO PALCO !

 

É isso, vou postar aqui algumas fotos que eu tirei do Show, e uns vídeos também:

 

  • Fotos:

Slide Show com as imagens tratadas

  • Vídeos:

http://www.youtube.com/watch?v=-RVJG6m0NAo

http://www.youtube.com/watch?v=-MTcX6IB42Q

http://www.youtube.com/watch?v=JziIfkM-wBs

http://www.youtube.com/watch?v=j8EZzlrxP-8

P.s.: Tem várias outras imagens, só que não foram “tratadas”, e não ficaram tão legais, se alguém quiser, eu posso upar tudo e tal.

Start of Something

Ei! Para o que você tá fazendo AGORA! Isso, parou ? Ótimo, agora entra nesse link.


..
.

Ouviu a música? Ótimo, agora divida sua vida entre “Antes de ouvir Start of Something Beatiful” e “Depois de ouvir Start of something Beatiful”.
Sério, peguem a música, ela é boa DE MAIS, a melhor do Deadwing , com certeza. Não consigo parar de ouvir essa música.

Mas bem, isso tudo ai em cima, foi só uma pequena enrolação, pq o post ficaria MUITO curto se eu só falasse que amanha tem show do Blind Guardian aqui no Rj, e que provavelmente segunda, no máximo terça, tem uma resenha do show, com direito a fotos tremidas, gravações com ruidos, e etc. Ou seja, coisa de profissional do séquiço.

Só isso mesmo.

“The more I show the way I feel
The less I find you give a damn
The more I get to know
The less I find that I understand
Innocent, the time we spent
Forgot to mention we’re good friends
You thought it was the start of something beautiful?
Well think again.”

300

            TONIGHT WE DINE IN HELL AAAAAEEEEE !!!!

Bom, como vocês deveriam saber, dia 30 desse mês, estréia aqui na terra da putaria 300 (de esparta), e eu, como bom descoupado, resolvi reunir tudo o que já saiu a respeito do filme, HQ e talicoisa, e escrever algo parecido com um review.

  • Um pouco de história:

Quase 500 anos antes de Jesus andar por ai, um exército com quase 2 milhões de persas invadiu o norte da Grécia, chegando até Fócida (No Oeste). Porém, Leonidas (Gerard Butler), um dos principes da persia Reis de Esparta, juntou 4.000 homens, junto a um desfiladeiro, impedindo que o exército pérsa continuasse. Tudo muito bonito, se um Judas não tivesse mostrado aos persas um ‘atalho’, ajudando com um ataque safado pelos flancos. Seguindo seu código de honra, que os proibe de sair de qualquer batalha, Leonidas e sua elite cremosa de 300 homens vão com tudo pra cima.

  • A HQ:

Bom, pra quem nunca ouviu falar de Frank Miller (O autor da HQ), é o mesmo cara de Sin City, DareDevil, Elektra e por ai vai, ou seja, o cara não tá começando agora. Eu que nunca fui muito de ler HQs, li Sin City e QUASE comprei algumas edições. Isso pq o cara tem um traço MUITO bom, digo isso sem entender LHUFAS de desenho, mas do mesmo jeito, li e gostei pra caralho. Diferente de Ghost Rider, rola de fazer aquela comparaçãozinha entre HQ e o Filme, pq finalmente li uma HQ antes e tal; Olha só o nível da coisa:

Deu pra ver que o filme vai ser bem fiél a HQ, né ? Se conseguir manter o nível de Sin City (Outra graphic novel do Miller), já está ÓTIMO. Sério, Sin City é a melhor adaptação de HQ que eu já vi. É como se você visse a revista em movimento, coisa linda.

Leu tudo até aqui, e mesmo assim não entende pq tanto falatório por esse filme ? Toma ai, tudo que já saiu sobre o filme:

Vídeos:

Trailer 1
Trailer 2
300 segundos de 300

Trailer 3, sem censura aqui

Posters:

HQs:

Link Gigashare

Link da Paula


Trilha Sonora Original (OST):

Link Mediafire
Link Gigashare
Senha: victoroffelitecpturbo

É isso. Tem ai praticamente todo o material relacionado ao filme, menos o filme. Se bem, que ontem saiu uma versão CAM (provavelmente porca), e essa semana ainda deve sair uma versão TS, um pouquinho melhor. Mas esse filme eu faço questão de ver no melhor cinema da cidade. 🙂

Livros

Ontem num papo sobre música e literatura no fhbd, falaram de Bernard Cornwell, O Autor, conhecem ? Não ? Pois bem, seus livros mais famosos são duas trilogias, As crônicas de Arthur, e a trilogia do Graal. Só li a segunda inteira, ela é composta por três livros, O Arqueiro, O Andarilho e O Herege.

Então, eles contam a história de Thomas, filho bastardo de um padre, e Arqueiro do exército inglês. Sim, exército, a história se passa durante a Guerra dos Cem Anos, e olha, NINGUÉM consegue passar a emoção de uma guerra tão bem quanto Cornwell. A temática principal da história é a busca de Thomas sobre seu passado, e sobre a existência ou não do Graal. São três livros ótimos, me lembro de ter comprado o primeiro, e uma semana depois ter comprado os outros dois.

Mas então, não vou continuar falando dos livros pois não pretendia escrever muito aqui, mas ontem a conversa chegou em Stephen King também, autor de um dos meus livros favoritos, O Iluminado. Conversa vai conversa vem, me dei conta que eu tava pra comprar um livro a algumas semanas, e todo aquele papo sobre Cornwell, Stephen King e tal, me deixou numa ânsia absurda de ler um livro.

E agora você me pergunta pq eu não fiz um texto descente, já que os livros são tão legais assim; A resposta é simples: Eu to no trabalho, abri o wordpress só pra falar que acabei de comprar um livro (Resultado da conversa de ontem HAHAHAHAHA, preciso me controlar mais), sem levar em conta que eu comprei essa semana também um filme novo, preciso começar a me controlar..

O livro que eu comprei é esse aqui, e assim que acabar, provavelmente vou começar a ler A Torre Negra (Super obra do King, 7 livros ao todo.).

Bônus pra vocês:

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

P.s.: Sim, post tapa-buraco pq eu ando meio sem tempo, mas prometo algo legal nesse fim de semana 🙂

Ghost Rider – Resenha

“The thing about Legends is…sometimes, they’re true.”

 

Pra começo de conversa, não esperem NADA sobre a adaptação da HQ pro Cinema, pois pra variar, eu nunca li a HQ. Pois bem, agora sobre o filme;

Depois de tantos problemas como adiamento absurdo do filme, os problemas com o áudio do trailer, eu já não esperava muita coisa desse filme, acho que por isso não ficou aquele sentimento de decepção. Achei o filme bem fraco, quer dizer,o filme não é uma merda, vale até a meia entrada e pouco mais de 90 minutos gastos, mas sei lá, um herói tão estiloso merecia um filme melhor.

Acho o Motoqueiro um herói bem estiloso, e o Jhoony Cage Nicolas Cage que fez esse filme nem parece ser o mesmo que fez The Wickerman. Me amarrei no trabalho do Cage nesse filme, apesar dos efeitos er…toscos, tipo nas cenas de destruição, sei lá, acho que poderia ter ficado BEM melhor. Acho que a única cena que eu realmente gostei foi a primeira vez que ele se transformou no Motoqueiro, aquele lance de pedaços do crânio aparecendo, a pela queimando e tudo mais, pena que cortaram pra ele já transformado. Até naquele “Olhar de Penitência” poderiam ter feito algo mais legal, mas naquelas. O diretor é o mesmo de DareDevil, né ? Ahn tá.

Outra coisa que eu achei completamente TOSCO foram os vilões. Eles pareciam ser todos Overpower, achei que fosse sodomizar bonitamente o Motoqueiro, mas nada disso. As batalhas foram fraquinhas, todos morriam com um peido, e ainda teve aquela tosqueira toda debaixo d’água, que eu nem vou falar aqui pra não tirar a graça (graça mesmo, pq eu ri) do filme pra vocês.

Não, não é a nova formação do Nightwish
Não, não é a nova formação do Nightwish

Então, apesar dos pesares, Ghost Rider é um filme legal, vale a pena pagar meia entrada e perder 90 minutos do seu dia pra ver esse filme. Tem umas cenas engraçadas, tipo quando o Jhonny Cage Blaze tenta explicar pra Roxxane pq ele furou no jantar com ela e talicoisa, mas naquelas, não vá pro cinema esperando um mega blockbuster não.

Spoilerzinho do final do filme, tosqueira pura também:

Cacete, o que foi aquilo ?! “Toda vez que eu ver um inocente morrendo eu estarei lá!!!” ELE FALOU ISSO PRO SATANÁS EM PESSOA, esse, ao invés de acabar logo com a bundinha do Cage, correu para as colinas. Tosco de mais, sério.

 

 

Dados do filme: (IMDB)

DireçãoMark Steven Johnson

Estréia 02 de março, aqui no Brasil

GêneroAção

Duração114min

Opa, beleza, primeira vez que eu consigo fazer uma resenha não tão grande. Talvez pq o filme não seja tão bom assim, sei lá, vai saber.


Os 7 jogos que vão esvaziar a sua carteira esse ano

Eu tava reparando aqui, a cada vez que eu posto, tenho que criar uma categoria nova. Mas acho que essa é provavelmente a última categoria do Blog; Games. Acho que tudo que eu gosto e escrevo já foi aqui, Cinema, Música e Games.

 

Pois bem, inspirado num tópico do Kid lá no fHBD, resolvi fazer esse Top10 (Com 7 jogos):

 

  • 7º Lugar – Forza Motorsport 2

Lançamento: Abril Site Oficial Trailer

Qualquer dono de xbox que se preze, jogou o primeiro , e qualquer outro gamer quis jogar. Pois bem, eu não joguei o primeiro, e to numa ânsia filha da puta pra jogar o segundo. Até pq, comprei o Project Gothan Racing 3 e não gostei, ou seja, não to me importando muito com o PGR4. E como Need for Speed já não é o mesmo de antigamente, to sem jogo nenhum de corrida para o X360, por isso o 7º lugar pra Forza 2. A título de comparação, Forza Motorsport do xbox, fo considerado o sucessor de Gran Turismo. Não achou o suficiente pra entrar na lista ? Além disso tudo, Forza2 tem 300 veículos licensiados, 18 mega-cenários e um dos melhores modo de personalização já feitos. Pronto, 7º lugar justificado.

 

  • 6º Lugar Demonik

Lançamento: Jun/Jul Página IGN Trailer


Em Demonik, você controla um demônio, que vive em uma espécie de Underworld e é “contratado” por humanos pra fazer todo e qualquer tipo de trabalho sujo, o que eles não sabem, é que a cada “visita” que você faz no mundo real, você fica mais forte, cada vez mais forte, facilitando seu plano de dominar o mundo. E pra isso, você tem alguns poderes, como possuir corpos, lançar LEPRA em qualquer um (com direito a ver os órgãos caindo), lançar raios de fogo, e mais uma porrada de coisas legais. Mas nem tudo são flores, não vai achando que tudo vai ser fácil só pq você tem uns poderes legais e talicoisa, além dos humanos normais, tem também os caçadores de demons que são invulneráveis ao seus poderes, ou seja, SE FODEU ! Agora sério, quer mais motivos pra esse jogo ganhar o 6º lugar ? Ele foi feito por Clive Barker, autor de Hellraiser.

  • 5º LugarKane & Lynch: Dead men

Lançamento: 2007 Site Oficial Trailer

Se a quantidade de jogos AAA pra esse ano não fosse tão grande, Kane & Lynch seria o primeiro lugar fácil, a começar pelos protagonistas; Kane é um mercenário “aposentado” e Lynch, bom, Lynch é um psicopata esquizofrênico. Kane, que é considerado um traidor, conheceu Lynch (que não sabe se matou ou não sua mulher enquanto estava num “transe”) no corredor da morte, onde os dois foram sequestrados por um grupo de mercenários, e agora, os dois terão de fazer algumas missões pra esse grupo, The Seven. No jogo você vai controlar Kane na maior parte, e vai ser acompanhado por Lynch (Coop Q), mas em algumas missões, você ira sozinho. Ah sim, vale lembrar que o jogo é dos criadores de Hitman, ou seja, pode esperar que vem coisa boa por ai.

  • 4º Lugar Fable 2

Lançamento: 2007 Página IGN Teaser

Quem já jogou o primeiro Fable, pode pular direto pro 3º lugar, pq sabe muito bem do que se trata. E você que nunca jogou, Fable é um RPG aberto, ou seja, você faz o que você quiser, mas saiba que cada escolha pode, e vai influenciar no seu futuro. Por exemplo, se você decide ser um porra louca, assassino frio que sai por ai fazendo merda, não espere um comportamento exemplar de seu filho (SIM, VOCÊ PODE TER FILHOS NO JOGO). Outro exemplo, lembra aquela cidadezinha que você passou quando era só uma criança ? Você pode voltar nela alguns anos depois e ver que ela se transformou numa grande metropole, ou que simplismente sumiu do mapa. Essa é a grande sacada de Fable, a influencia do tempo no resto do jogo. 4º Lugar mais do que merecido. (Fable 1 tem uma versão pra PC, então se você nunca jogou, compre ela no tracker mais perto de sua casa.)

  • 3º LugarAssassin’s Creed

Lançamento: Primeiro Semestre Site Oficial Trailer

Eu podia simplismente falar que Sin’s Creed é a nova franquia da Ubisoft, e que você pode sair Le Parkourzando feito um macaco por ai, que vocês já se sentiriam na obrigação de jogar esse jogo, certo ? Mas então, como eu sou legal, vou falar mais sobre esse, que promete ser um dos melhores jogos multi-plataforma da nova geração.
O primeiro episódio da série é ambientado no ano de 1191, quando a Terceira Cruzada está acabando a Terra Sagrada, e é ai que você e seu grupo entram. Pra acabar com tanto mimimi, vocês resolvem simplismente acabar com os dois lados. Seja dando uma de hitman, e matando sem ser visto, ou dando uma de Rambo (Ou Stallone Cobra, como preferir) e matar qualquer coisa que se mecha. Ahn sim, esse é só o primeiro episódio, pois já foi confirmada uma trilogia. Até que a história é legal, né? Isso é pq você não viu os spoilers que estão circulando por ai, mas ai já não é comigo, prefiro não estragar a surpresa dos outros.

 

  • 2º LugarHalo 3

Lançamento: Novembro Site Oficial Trailer

Finish the Fight.

Muita gente gozou na cuequinha só de ler essa frase, muita gente começou a preparar as grelhas por esse ser o último episódio. Eu não sou nenhum dos dois, eu sou aquele cara que não teve um xbox, e por isso não teve a oportunidade de jogar Halo2 (Joguei só Halo1 pra PC), e muito menos experiementar o Multiplayer dele. Ainda to querendo comprar Halo2, pra poder me ligar mais na história, antes de jogar o terceiro, pois quando joguei o primeiro, joguei como sendo mais um FPS, mas tá mais do que claro que Halo não é só mais um. Não tenho muito o que falar da história do jogo, pq não sei NADA, MESMO. Mas de qualquer jeito, se eu que não sei da história, to afimzaço de jogar esse jogo, imagina os hardcores que idolatram isso? Devem tar contando os minutos.

Bom, o primeiro lugar, vai ficar pra próxima, com um post especial sobre ele e tal. Arriscam dizer um nome ? Tem vários de peso que tão fora da lista, por isso vale lembrar que essa é uma lista mais pessoal, e esses são os jogos mais esperados por mim, por isso, façam as suas listas, ou tentem adivinhar qual é o jogo mais esperado por mim. Ou então não façam nada disso 🙂

P.s.: Bannerzinhos feitos porcamente no PS, preguiça pura.